sábado, 11 de julho de 2009

Amada Minha

Lady, querida Lady!
Como posso dizer-lhe que te amo?
Visto que não consigo conter dentro de mim uma vontade de sorrir!
De onde vem tanto sentimento?
Tanto amor que transborda por meus olhos e vai até sua boca?
Diga-me, sei que podes falar!
Ou não?
Não entendo porque tão calada, amada minha
Se te faço juras de amor ao pé do ouvido, mesmo que ele esteja frio.
Seus olhos são tão lindos e azulados! Tão opacos e sem vida que me deixam arrepiado!
Segurar sua mão é como segurar uma peça delicada de mármore esculpido por anjos!
Onde está a cor de sua pele? Por que não cora quando declaro meus sentimentos?
Não seja tão frígida meu amor!
Beijo-lhe os lábios, mas não estão quentes e macios. Estão frios e ressecados!
Por que o descuido com tanta delicadeza, tanda beleza?!
Não se descuide, meu amor, pois para mim és a Rainha da Primavera!
Mas, estamos no inverno agora, e só o que vejo são vastos campos de branca e pura neve.
Oh, deixe-me convidá-la para uma dança?
Somente uma, não lhe fará mal, se estiver doente.
Vamos, não deixe o corpo tão solto... Tudo bem, eu a guio pelo salão.
Mas, que linda valsa dançamos!
Levar-te pelo salão é fácil demais, quase como levar uma pluma nos braços!
Mas, porque não responde a nada?
Por que não responde as minhas carícias?
Estou fazendo algo errado?
Separo-me de meu amor, e ela cai de meus braços para o chão, imóvel.
Oh, que líquido brilhante é essa em seu vestido, minha amada?!
Essa que mancha de vermelho o branco perolado de seu vestido de inverno que lhe dei com tanto carinho e amor!
Não sabes que podes manchá-lo para sempre?
E ainda manchaste minhas roupas de linho novas! Amada minha, não faça mais isso!
Onde está meu lenço? Oh sim, no bolso de trás de minha calça.
Puxo meu lenço, cai uma adaga violada de vermelho.
Apanho-a, analiso-a e vejo que pertence a meu falecido avô!
Amada minha, o que isso faz em meu bolso? Meu pai vai castigar-me quando der falta!
Amada? Por que não me responde?
Ah, que tolice a minha!
Cadáveres não falam.

3 comentários:

  1. gente, que doente necrófilo!
    ahuishdiuahsdiasdias zuera.
    gostei muito.
    achei a primeira parte muito bem escrita e
    musicalizada, mas acho que indo para o final
    ela se perdeu um pouco, mas gostei muito do texto =)
    liindo o seu blog, juh, amei o banner!

    ;**

    ResponderExcluir
  2. Dispensa comentários.
    Romântico, sexy e mórbido.

    adorei!


    ;*

    ResponderExcluir